Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

Propagandas criativas

O vinil nunca morre

Passeio pela infância.

Hoje, depois de dois meses parado, voltei a prática de esportes. Fui dar uma pedalada pra relaxar, desestressar e voltar à forma para as corridas com meu grupo.
Engraçado que em uma hora passeei pela minha infância e adolescência. A cada pedalada uma lembrança. As ruas, prédios, a praia, mesmo os lugares que não mais existem  (A Enseadinha, as antigas palhoças dos pescadores, o "Havaizinho", a Padaria de Mesquita, o Bar de Dona Iva, o nosso cachorro Tripa, as tartarugas desovando lá em Tia Lourdes, etc...) trouxeram imagens, risos, brincadeiras, festas e amigos de volta.  
É muita recordação pra pouco tempo (de pedalada).
Saudade de tod@s, dos que tenho notícias, dos que perdi contato. E dos que nos deixaram. Tod@s foram importantes pra me fazer o homem/menino que sou hoje.

O país de Caça-Rato

Muito além de engraçado, o texto de Xico Sá é provocador e realista. Muito além da preocupação, a foto de Diego Nigro (JC Imagem), traz luz ao dia-a-dia das nossas grandes cidades. O que estava se tornando "normal", volta a indignar nossa sociedade.

Enfim o texto completa a foto. A foto explica o texto.


Amigo torcedor, amigo secador, no país de Caça-Rato, símbolo da sobrevivência e herói do time do Santa Cruz, tudo é diferente da fantasia e da modernidade que tentam nos vender a cada instante, a cada clique, a cada moda. No país de Caça-Rato, o menino Paulo Henrique, 9, nada de braçada no esgoto do canal do Arruda, como na foto de Diego Nigro (JC Imagem), que assombrou o mundo esta semana.

No país de Caça-Rato, alguns, como o próprio jogador, escapam graças ao futebol, ao funk, ao rap, ao pagode. Muitos outros ficam no caminho, caça-ratinhos fadados ao limbo dos refugos humanos ou às balas nada perdidas da polícia --quase sempre morte matada antes dos 30.
No país de Caça-Rato,…

Como o twitter mudou o mundo

PORLUISAFSANTOS

Sete anos após ser criada, a rede de microblogging Twitter abriu seu capital na bolsa de Nova York na última quinta-feira (07/11), sob forte demanda dos investidores por seus papéis. Comentamos aqui sobre o desempenho inicial das ações. Com preço inicial de US$ 26 (cerca de R$ 60), elas chegaram a ultrapassar a barreira dos US$ 50 (R$ 115), para depois se aproximar da casa dos US$ 45 (R$ 104), 73% a mais que o preço original das  da IPO (sigla em inglês da “oferta pública inicial”, quando os papéis de uma empresa passam a ser negociadas na bolsa pela primeira vez).
O Twitter tem hoje cerca de 550 milhões de usuários no mundo. Ainda que sua base de usuários seja menor do que a do Facebook (com cerca de 1 bilhão de cadastros), nenhuma outra rede social tem a mesma influência. Uma das maiores convenções criadas por ela foi a difusão do uso do “jogo da velha” ou . Antes do Twitter, o símbolo # só era praticamente visto nos telefones para indicar um número. Agora, …

O Tempo e as Jabuticabas

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.

Tenho mais passado do que futuro... Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas...
As primeiras, ele chupou displicente... mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço...
Já não tenho tempo  para lidar com mediocridades...
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis...
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas...
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral...
As pessoas não debatem conteúdos... apenas os rótulos...
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos... quero a essência...minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, mui…

In vino veritas

O provérbio latino in vino veritas - "No vinho está a verdade" - é considerado a expressão máxima do efeito do vinho, ou seja, sob a sua ação prevalece a verdade. 

A origem remonta a uma história ocorrida numa aldeia romana, na era do cristianismo. Como os habitantes da aldeia eram avessos à nova doutrina, as autoridades enviaram para o local um bispo para estudar o que se estava a passar. O bispo concluiu que o jovem sacerdote era muito tímido e os seus sermões não entusiasmavam os habitantes da aldeia. 

O bispo aconselhou-o, então, a beber alguns cálices de vinho antes de iniciar os seus sermões, o que o jovem aceitou de bom grado. O resultado foi espantoso! O sacerdote enalteceu tanto as virtudes do cristianismo, que o bispo, pasmo com a transformação do jovem, considerou que este tinha exagerado nos copos.
Mas, como invino veritas, a aldeia tornou-se um exemplo de cristandade..