Diálogo - palavras e princípios


Há exatos sete anos senti a necessidade de criar um espaço que me levasse pra perto dos amigos, da minha cidade, da política. Pra mais perto de mim. Um espaço destinado tanto ao bom debate quanto às questões do dia-a-dia. Decidi deixar a vergonha (ou medo) de lado e começar a escrever.


Sempre ouvi dizer que escrever liberta, mas o tempo me mostrou muito mais além...

Escrever prende e envolve. Estimula e amplia. Alivia e liberta. Expande e libera. Atenua e alivia. Polemiza e esclarece. Expõe e repõe. Permite, possibilita, traduz e revela...

Escrever é a arte de pintar com palavras. É selecionar da paleta de tintas do vocabulário a "cor" que melhor condiz com aquele sentimento, com aquele estado de espírito, com aquilo que vai na alma. Escrever é combinar os diversos tons de intensidade, as diversas matizes de significados e possibilidades com o teu pensamento. Escrever é pinçar palavras que expressem e cumpram o real sentido da tua imaginação.

A palavra tem força: ela levanta ou derruba, emociona ou fere, aproxima ou afasta. Mas aqui, em nosso Diálogo, aprendi que tem uma grande diferença entre a palavra dita e a palavra escrita. A dita se evapora, se dissipa, é passageira, é efêmera. Já a escrita tá registrada, é algo concreto, certo e possível. Quando escrevemos revelamos novas formas de conceber e traduzir a realidade. Tecemos, à nossa maneira, o cotidiano. Expomos nossos pensamentos e vontades.


Na construção da escrita não pode haver pressa, nem desespero. As pinceladas devem respeitar antes de tudo o que cada palavra tem a dizer sobre si mesma. Mais ainda: quando juntas, as palavras formam idéias e conceitos.

Enfim, escrever é um risco. E os últimos sete anos confirmou meu gosto pelo risco. Cada texto, cada frase e cada palavra dita, ou melhor, escrita, foi a tradução do que penso, sonho e quero. Confirmou que o blog cumpriu seu objetivo: À busca de princípios, de começos e recomeços.

Carpe diem!!!

Comentários