Pular para o conteúdo principal

Minha cidade, meu olhar particular.

Paulista comemorou no último dia 04 de setembro 75 anos de emancipação política. E aqui poderia fazer o relato histórico, os personagens, as figuras importantes/emblemáticas, os fatos históricos e pitorescos da cidade. Mas acredito ser mais importante fazer uma avaliação do espaço político e econômico que o município ocupa hoje e que papel que irá ter no cenário de Pernambuco, num futuro onde o planejamento é importante.

Com o objetivo de levantar a discussão dos problemas e das potencialidades do Paulista, trago um dado importante: No início da década de 80, a FIDEM elaborou um estudo sobre o crescimento da Região Metropolitana do Recife, onde apontava o município do Paulista como um dos mais viáveis e com melhor perspectiva de crescimento sustentável e qualificado da Região. Visto que Paulista: a) era a terceira economia de Pernambuco; b) tinha um Parque Industrial amplo e diversificado; c) tinha um dos maiores e melhores pólos têxteis do país, tanto pelo quantitativo de fábricas quanto pelo capital humano experiente e qualificado; d) possuía apenas três comunidades carentes (favelas); e) tinha grande área territorial, com possibilidade de crescimento ordenado e planejado;

Mas, hoje, distantes 30 anos e em contraposição do referido estudo, constatamos que Paulista: a) hoje é apenas a sétima economia do estado; b) seu Parque Industrial está sucateado, abandonado; c) o pólo têxtil voltou para o sul do país e o Agreste do estado se fortaleceu também. As fábricas fecharam e a mão de obra qualificada perdeu seus empregos e se dedicou a outra atividade econômica; d) se estima que Paulista hoje possua cerca de mais de 70 comunidades degradadas, caracterizada por moradias precárias, pela falta de infraestrutura e sem regularização fundiária (favelas); e) em seu espaço territorial amplo foi construído vários conjuntos habitacionais, tanto da antiga COHAB quanto do INOCOOP ou outros.
E, por conta destes conjuntos, a população do Paulista saltou de 70 mil para cerca de 190 mil habitantes em menos de 10 anos. Ou seja, Paulista teve uma explosão demográfica enorme, sem a preparar a infra-estrutura necessária. Até hoje o município sofre conseqüências de um crescimento desordenado, destacamos entre tantos problemas: a falta transporte público, a educação e saúde com poucos equipamentos, alem da falta de adequação necessária, sem esgotamento sanitário, ocupações irregulares, entre tantos outros que possam levar minimamente, uma qualidade de vida digna para o cidadão.

Mas nem tudo é problema, nos últimos 10 anos, Paulista vem recebendo atenção especial dos governos estadual e federal e tem melhorado, aos poucos, a infra-estrutura da cidade. Outro fator que Paulista precisa aproveitar, e é uma das nossas maiores potencialidades, é percentual do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, um dos maiores do estado.

Paulista chegou aos 75 anos necessitando planejar a cidade que quer ser. Entendendo, além de sua história, seus problemas e suas potencialidades. Cabe a sociedade civil, entidades, instituições e poder público criar um espaço de debate amplo, democrático, onde será discutida e planejada esta nova cidade.

Parabéns Paulista, Cidade das Chaminés!

Comentários

  1. OS PROJETOS SOCIAIS QUE VISAM A INCLUSAO DE CRIANÇAS E JOVENS NA COMUNIDADE ATRAVES DA PRATICA ESPORTIVA TEM SIDO OFERTADA COM A ARTE MARCIAL TAEKWONDO, AS FEDERAÇÕES JA CONTEMPLAM OS ATLETAS DESSE SEGMENTO COM ISENÇÕES NAS DIVERSAS TAXAS DAS SUAS ARRECADAÇÕES, FACILITANDO A INCLUSAO SOCIAL DOS MESMOS. "SEJA PATROCINADOR OFICIAL DA COPA PAULISTA DE TAEKWONDO ATP" DOM 26/09/2010 AS 09H CLUBE MUNICIPAL DO PAULISTA-PE, 81-87321899 MESTRE MARCIO GOMES, ORGANIZADOR

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zé Amaro

Um grande amigo faleceu ontem, aliás mais que amigo, um companheiro que herdei das relações dos meus pais, e que soubemos nos cativar. Mais que qualquer rótulo, seja do sociólogo, do perseguido político, do alvirrubro, socialista, Zé foi uma das referências pra minha geração, aqui em minha paróquia. 

Nossas conversas sempre giravam em torno do bem maior, da construção de uma cidade, de uma sociedade melhor. Tivemos grandes discussões, mas sempre deixamos as divergências e discussões em segundo plano. O que nos movia e unia era bem maior que quaisquer diferenças. Segue em paz Zé, que aqui a gente vai continuar tua luta.


Zé Amaro - O "Baixo"

Teu nome sugere um passado de lutas.
Teus amigos demonstram um futuro de saudade,
Quem foste tu? Bravo soldado! Velho infante!
Sei que foste importante, porque foste e viveste a história.
Teu semblante refletia cicatrizes
De um passado de conflitos,
De uma juventude que se fez importante.

Teus ideais...
...alguns já calaram, outros vingaram
mas todos …

Entre o id, o ego e o super ego

Nosso blog diálogo de roda tem um caráter de falar sobre nada e tudo ao mesmo tempo agora. Portanto, depois de quase um mês de uma discussão no trabalho, prometi escrever algo sobre como estão estruturadas as nossas personalidades, segundo Freud. Ou seja, falar sobre ID, EGO e SUPEREGO.

Lembro que na época da faculdade, pagando uma das cadeiras de psicologia, procurei uma forma para melhor entender essas estruturas e criei uma historinha.

Imaginem e se coloquem em cena: é terça-feira, 18 horas. Saindo do trabalho, morto de vontade de chegar em casa e relaxar. Pego o elevador, nele estão um senhor, autoritário, arrogante, puritano, um autentico conservador e uma bela mulher, loira (é melhor acabar com essa fixação por loiras, posso ser processado por discriminar as morenas, negras e ruivas e ainda tem a minha morena jambo que pediu pra escrever sobre ela) por volta dos 30 anos (pelo menos aparenta), linda, com um sorriso encantador, olhar sensual...

... mas continuando, o elevador pára…