Pular para o conteúdo principal

Vinte capitais brasileiras ficam no escuro na Hora do Planeta

Entre 20h30 e 21h30 deste sábado, casas, empresas, prédios públicos e monumentos de 123 cidades brasileiras ficaram voluntariamente no escuro por uma hora. A ação batizada de Hora do Planeta foi orquestrada pela organização não-governamental internacional Worl Wildlife Fund (WWF) para alertar o o mundo do perigo do aquecimento global. Além do Brasil, outros 130 países participaram da ação.

No Brasil, 20 capitais participaram da Hora do Planeta, entre elas São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Manaus, Belo Horizonte, Salvador, Florianopólis, Fortaleza, Curitiba e João Pessoa. Em alguns pontos do País, houve um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do terremoto no Japão e das enchentes na serra fluminense.

Na capital paulista, foram desligadas as luzes do Estádio do Pacaembu, da Biblioteca Mário de Andrade e dos Arcos do Anhangabaú, além da Ponte Estaiada, o Obelisco do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras, o Teatro Municipal e o Mercado Municipal.

No Rio de Janeiro, cidade âncora do movimento no País, o apagão foi recebido com festa: pela primeira vez houve um evento aberto ao público, com apresentação das baterias das escolas de samba Mangueira, Portela, Grande Rio e União da Ilha, e as presenças da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Na cidade, foram apagados Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Igreja da Penha, Arpoador, Orla de Copacabana, Castelinho da Fiocruz, Monumento aos Pracinhas e os Arcos da Lapa.

Na capital baiana, de acordo com a prefeitura, ficaram às escuras o palácio Thomé de Souza, o Elevador Lacerda, as estátuas dos Orixás do Dique do Tororó, a Praça Castro Alves, o Farol da Barra, além dos monumentos Clériston Andrade, Estação da Leste e Abaeté, assim como o Tribunal de Justiça do Estado.
Já o Distrito Federal apagou as luzes do Palácio do Buriti e Anexo, Memorial JK, Teatro Nacional, Catedral, Museu do Índio, Complexo Cultural da República e Ponte JK.

Segundo a ONG, mais de 1948 empresas e organizações brasileiras aderiram ao movimento, através de seu site.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Zé Amaro

Um grande amigo faleceu ontem, aliás mais que amigo, um companheiro que herdei das relações dos meus pais, e que soubemos nos cativar. Mais que qualquer rótulo, seja do sociólogo, do perseguido político, do alvirrubro, socialista, Zé foi uma das referências pra minha geração, aqui em minha paróquia. 

Nossas conversas sempre giravam em torno do bem maior, da construção de uma cidade, de uma sociedade melhor. Tivemos grandes discussões, mas sempre deixamos as divergências e discussões em segundo plano. O que nos movia e unia era bem maior que quaisquer diferenças. Segue em paz Zé, que aqui a gente vai continuar tua luta.


Zé Amaro - O "Baixo"

Teu nome sugere um passado de lutas.
Teus amigos demonstram um futuro de saudade,
Quem foste tu? Bravo soldado! Velho infante!
Sei que foste importante, porque foste e viveste a história.
Teu semblante refletia cicatrizes
De um passado de conflitos,
De uma juventude que se fez importante.

Teus ideais...
...alguns já calaram, outros vingaram
mas todos …

Entre o id, o ego e o super ego

Nosso blog diálogo de roda tem um caráter de falar sobre nada e tudo ao mesmo tempo agora. Portanto, depois de quase um mês de uma discussão no trabalho, prometi escrever algo sobre como estão estruturadas as nossas personalidades, segundo Freud. Ou seja, falar sobre ID, EGO e SUPEREGO.

Lembro que na época da faculdade, pagando uma das cadeiras de psicologia, procurei uma forma para melhor entender essas estruturas e criei uma historinha.

Imaginem e se coloquem em cena: é terça-feira, 18 horas. Saindo do trabalho, morto de vontade de chegar em casa e relaxar. Pego o elevador, nele estão um senhor, autoritário, arrogante, puritano, um autentico conservador e uma bela mulher, loira (é melhor acabar com essa fixação por loiras, posso ser processado por discriminar as morenas, negras e ruivas e ainda tem a minha morena jambo que pediu pra escrever sobre ela) por volta dos 30 anos (pelo menos aparenta), linda, com um sorriso encantador, olhar sensual...

... mas continuando, o elevador pára…